top of page

šŸ‘µšŸ§“ UniSER no Correio Brasiliense šŸ‘“šŸŒŸ

BrasĆ­lia, 8 de outubro de 2023 - Em uma entrevista exclusiva para o Jornal Correio Brasiliense, Cleunice Castro, renomada professora voluntĆ”ria de artesanato, e a Doutora Kerolyn Ramos Garcia, coordenadora executiva do Programa UniSER-UnB, compartilharam suas perspectivas sobre a crescente populaĆ§Ć£o de pessoas idosas no Distrito Federal e a necessidade de incluĆ­-las no mercado de trabalho e em atividades de capacitaĆ§Ć£o.


A carĆŖncia de atividades educacionais voltadas ao envelhecimento saudĆ”vel e ativo motivou um grupo de pesquisadores da Universidade de BrasĆ­lia (UnB), liderados pela professora MargĆ“ Karnikowski, a criarem o curso de extensĆ£o Universidade do Envelhecer (UniSER) em 2015. O programa visa a promoĆ§Ć£o da qualidade de vida e as mudanƧas de paradigmas da populaĆ§Ć£o madura, por meio de uma capacitaĆ§Ć£o que permite a ela atuar na prĆ³pria velhice, de forma que essas pessoas tornem-se participativas e ocupem espaƧos na sociedade.


O curso de educador polĆ­tico e social em gerontologia, ofertado a cada semestre e com duraĆ§Ć£o de um ano e meio, formou mais de mil participantes e tambĆ©m possibilita a atuaĆ§Ć£o em instituiƧƵes que prestam serviƧos para pessoas idosas. Os educadores tornam-se, portanto, agentes de transformaĆ§Ć£o social e polĆ­tica, que promovem o empoderamento, a autonomia, a cidadania e a ampliaĆ§Ć£o das capacidades na vida adulta.


Cleunice Castro, 66 anos, foi aluna da UniSER e hoje atua como professora voluntĆ”ria de artesanato na instituiĆ§Ć£o. Chegada em novidades, ela, que sempre foi costureira e artesĆ£, ficou sabendo pela filha da oportunidade de iniciar o curso de educador polĆ­tico e social em gerontologia. NĆ£o perdeu tempo e fez sua inscriĆ§Ć£o em 2016.

As principais motivaƧƵes estavam em obter mais conhecimentos sobre os direitos das pessoas idosas, alƩm de crescer emocionalmente. "LƔ, eu estava sempre com a mente ocupada, fazendo amizades e me sentindo atualizada sobre as coisas. O curso me manteve ativa e longe da tristeza", comemorou.


Quando finalizou a formaĆ§Ć£o, em 2017, foi chamada para ser professora voluntĆ”ria e organizadora de eventos na instituiĆ§Ć£o. Lecionar, para ela, foi a realizaĆ§Ć£o de um antigo sonho. "Sempre tive o desejo de dar aulas, entĆ£o, hoje me sinto realizada. Percebo que muitos idosos tambĆ©m tĆŖm vontade de progredir, se desenvolver, mas falta apoio da famĆ­lia e da sociedade, que desacreditam em seu potencial", destacou.


Manter-se ativa Ć©, para Cleunice, sinĆ“nimo de saĆŗde. Doutora Kerolyn Ramos Garcia, doutora em ciĆŖncias e tecnologias em saĆŗde e coordenadora executiva do UniSER, reforƧa que o programa interliga diferentes geraƧƵes, algo fundamental para promover a socializaĆ§Ć£o das pessoas idosas. "Sempre falamos que, na melhor das hipĆ³teses, todos vamos envelhecer, entĆ£o, que faƧamos dessa fase a melhor possĆ­vel. Nesse contexto, as aƧƵes educativas nos ajudam a viver melhor, afinal, estamos sempre em processo de aprendizagem", argumentou.


ƀ medida que a populaĆ§Ć£o de pessoas idosas continua a crescer, as palavras de Cleunice Castro e Doutora Kerolyn Ramos Garcia servem como um lembrete importante de que a inclusĆ£o ativa e o reconhecimento das contribuiƧƵes dos idosos sĆ£o essenciais para o futuro do Distrito Federal. Com a devida atenĆ§Ć£o e apoio, a terceira idade pode desempenhar um papel significativo no desenvolvimento econĆ“mico e social da regiĆ£o.


Cleunice Castro, 66, foi aluna da UniSER e atua como professora voluntĆ”ria de artesanato e organizadora de eventos na instituiĆ§Ć£o - (crĆ©dito: Minervino JĆŗnior/CB/D.A.Press)


Acesse a reportagem completa no link: https://www.correiobraziliense.com.br/cidades-df/2023/10/5131665-populacao-de-pessoas-idosas-cresce-e-e-o-futuro-da-mao-de-obra-no-df.html

2 visualizaƧƵes0 comentƔrio
bottom of page