Educação a Distância:

inclusão e responsabilidade social ao longo da vida

Autores: Robson Quintilio, Maria Salete Vaceli Quintilio, Aline Gomes de Oliveira, Edmo Martins Gomes e Keylla Dennyse Celestino da Silva

Foto: Designed by Alvaro_cabrera / Freepik

Conquanto haja grande variedade de conceitos sobre o significado de “responsabilidade social”, esse conceito costuma estar relacionado ao desenvolvimento sustentável, responsabilidade socioambiental e sustentabilidade.

 

De forma não excludente, para pesquisadores muitos atuais, o conceito converge para compreender a sustentabilidade como a integridade econômica, a equidade social e a integridade ambiental (OMETTO, 2018).

Numa outra descrição:

Responsabilidade social pode ser definida como o compromisso que uma organização deve ter com a sociedade, expresso por meio de atos e atitudes que a afetem positivamente, de modo amplo, ou a alguma comunidade, de modo específico (...). Assim, numa visão expandida, responsabilidade social é toda e qualquer ação que possa contribuir para a melhoria da qualidade de vida da sociedade (Ashley, 2004, p. 06-07).

Embora não podendo excluir os aspectos econômicos e ambientais, a Educação a Distância revela-se importante meio para a equidade social e para a melhoria da qualidade de vida, inclusive em fases da vida, onde a educação é muitas vezes negligenciada pela falta de acesso, como no caso dos idosos.

Conforme a publicação do Ministério da Educação DIREITO À EDUCAÇÃO - Subsídios para a Gestão dos Sistemas Educacionais (BRASIL, 2006):

Vivemos em uma sociedade democrática que tem por definição a pluralidade, o convívio e a interlocução na diversidade. O direito de participar nos espaços e processos comuns de ensino e aprendizagem realizados pela escola está previsto na legislação, e nas políticas educacionais devem estar compatíveis com esses pressupostos que orientam para o acesso pleno e condições de equidade no sistema de ensino.

A Constituição da República, quando adota como princípio a "igualdade de condições para o acesso e permanência na escola", compreendido como efetivação do objetivo republicano de "promover o bem de todos, sem preconceito de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação", prevê uma sociedade com escolas abertas a todos, em qualquer etapa ou  modalidade, bem como o acesso a níveis mais elevados de ensino.

 

Dados recentes divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - Inep/MEC indicam claramente o alcance e importância que a EaD pode ter na obtenção do objetivo de equidade de oportunidades.

Os gráficos a seguir, extraídos desses dados (BRASIL - INEP, 2018), apresentam um panorama baseado nas informações coletadas do questionário sócio econômico do Estudante participante do Enade.

Observam-se, desses gráficos, as indicações de que a EaD alcança um público diferenciado daquele do ensino presencial. Por exemplo, alunos dos Cursos em EaD pertencem a faixas etárias superiores, notadamente do sexo masculino, casado e que trabalha. Concentra-se também entre os de renda familiar menor.

Há que se ressaltar que nesse estudo, nem foram consideradas as faltas de oportunidades devido a inexistência de Instituições de Educação Superior geograficamente próximas do local de residência do estudante.

Assim, a Educação a Distância, permitindo que professores/tutores e alunos estejam separados física temporalmente permite uma flexibilidade incomparável ao processo de ensino-aprendizagem, tornando-se um mecanismo efetivo de inclusão social e educacional ao longo da vida, sendo para jovens, adultos e idosos.

Obviamente, não se prescinde de metodologias e tecnologias adequadas, cuja implementação, por vezes é trabalhosa, mas, se bem utilizadas, podem fazer grande diferença no futuro de pessoas que, de outra forma, não conseguiriam formação em nível superior, ou a continua aprendizagem.

Cabem às Instituições de Educação Superior a sensibilidade e a responsabilidade de colaborar, exercendo seu papel fundamental na sociedade, exercendo, assim, sua importante parcela de responsabilidade social.

 

REFERENCIAS

 

OMETTO, M. Paola; BULGACOV, Sergio; MAY, Márcia Ramos. A Efetividade dos Estrategistas da Responsabilidade Social Empresarial. Organ. Soc.,  Salvador ,  v. 22, n. 74, p. 423-441,  Sept.  2015 .   Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-92302015000300423&lng=en&nrm=iso>. Acesso em  02/08/2018.  http://dx.doi.org/10.1590/1984-9230747.)

 

BRASIL, MEC/SEESP - DIREITO À EDUCAÇÃO - Subsídios para a Gestão dos Sistemas Educacionais - Orientações Gerais e Marcos Legais, 2a Edição,   Brasília-DF,  2006 http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/direitoaeducacao.pdf) Acesso em 03/08/2018

 

BRASIL - INEP, 2018  - Enade 2017 Resultados e Indicadores; http://download.inep.gov.br/educacao_superior/enade/apresentacao/2018/apresentacao_coletiva_resultados_enade_conceito_enade_e_IDD_2017.pdf

 

Ashley, P. A. (Coord.) Ética e responsabilidade social nos negócios. São Paulo: Saraiva. 2004.

Endereço

 AE 1 - Candangolândia, Brasília - DF, 72000-000  Ao lado da Administração Regional

Email: uniserunb@hotmail.com
Telefone: (61) 3301-9337

Contatos

Redes Sociais

  • Instagram ícone social
  • Facebook Social Icon